quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Como eu identifico futuros pastores/presbíteros na congregação?


Como eu identifico futuros pastores/presbíteros na congregação?

Como vimos na aula sobre Liderança Bíblica do Gilson Santos, ministrada no Curso Fiel de Liderança, “o conceito neotestamentário de pastor não é o de uma pessoa que conserva a totalidade do ministério nas suas próprias mãos”. Sendo assim, reconhecer novos pastores e anciãos é essencial para o ministério pastoral. O artigo abaixo fornece um parâmetro inicial para a identificação de futuros candidatos.
Por Brian Croft
Eu recebo esta pergunta e outras como ela a todo tempo. Com um movimento para estabelecer uma pluralidade de pastores/presbíteros em ascensão, a resposta para esta pergunta se tornou muito mais importante e relevante. Por terem os pastores de nossa igreja acabado de indicar dois homens a serem considerados para se tornarem pastores, o processo de identificar estes homens está bem fresco na minha mente. Portanto, aqui estão três evidências para buscar quando você esquadrinha os homens de sua congregação e se pergunta quem o Senhor está levantando para servir como pastor ao lado dos outros pastores da igreja:

Encontre homens que funcionam como pastores sem o título ou o reconhecimento

Este é provavelmente o conselho mais útil que eu recebi sobre o assunto. Identificar pastores em seu meio não se trata de encontrar aqueles que pensam que deveriam ser pastores, mas aqueles que simplesmente são pela maneira que eles já cuidam da congregação. Eles pastoreiam as pessoas sem o título. Eles cuidam dos feridos sem se preocupar se seus esforços são notados. Eles disciplinam a outros porque eles almejam ver frutos espirituais em suas vidas. Eles ensinam e pregam a Palavra de Deus com gratidão quando lhes é pedido e nunca exigem tal como se fosse um direito. Principalmente, a congregação olha para eles como para um pastor.

Encontre homens que assumam o jugo pastoral, ainda que ele não lhes tenha sido imposto

Um dos sinais de afirmação para mim com esses dois irmãos que foram indicados recentemente em nossa igreja, foi sua presença e comportamento em uma reunião pastoral recente. Quando as correntes caíram de seus olhos e eles viram as necessidades pessoais da congregação que eram desconhecidas a eles quando as compartilhamos e oramos por elas, eu observei o jugo cair sobre seus corações quando eles consideraram as implicações de “prestar contas das almas”. Eles não foram aceitos pela congregação ainda, mas o jugo crescente deles pelas pessoas estava inegavelmente presente e foi muito encorajador para mim e meus colegas pastores confirmar que eles estavam prontos para a tarefa.

Encontre homens que pastoreiem suas famílias como um pastor deveria pastorear o povo de Deus

Um membro de nossa igreja fez a seguinte profunda observação durante nossa recente discussão pública sobre estes dois potenciais pastores: “Se ele se importa conosco com metade da fidelidade que ele se importa com sua família, nós seremos bem cuidados.” O cuidado de sua família não apenas é uma exigência para servir como pastor/presbítero (1Timóteo 3:4), mas também um útil medidor do tipo de pastor da igreja que ele será.
Independentemente de onde você encontra a si mesmo e sua igreja neste processo, olhe à volta. Quem está ensinando a Palavra de Deus humildemente e fielmente? Quem está discipulando a outros? Quem são os homens ao redor de quem sua igreja gravita para conselho? Quer sua igreja tenha estabelecido uma pluralidade de pastores/presbíteros ou não, procure por estes homens. Eles serão aqueles sobre quem você deve manter os olhos atentos enquanto você ora e busca os futuros pastores de seu povo.
Por Brian Croft. Brian é o pastor presidente da Auburndale Baptist Church, em Louisville, Kentucky. Além de contribuir com o blog 9Marks, Brian também escreve regularmente em seu próprio blog no endereço www.practicalshepherding.com. Brian é casado com Cara, e eles têm quatro filhos.
Extraído do site www.9marks.org. Copyright © 2012 9Marks. Usado com Permissão. Original: Identifying Future Pastors/Elders in the Congregation.
Tradução: Alan Cristie, cedido gentilmente – Editora Fiel © Todos os direitos reservados.


Divulgação:




terça-feira, 6 de novembro de 2012

Oremos e Ajudemos a Igreja Presbiteriana no Japão

Oremos e Ajudemos a Igreja Presbiteriana no Japão

http://igrejapresbiteriananojapao.blogspot.com.br/2012/11/oremos-e-ajudemos-igreja-presbiteriana.html

Um Estudo Bíblico sobre Jesus Cristo para te ajudar a se livrar de Comunidades e Igrejas que pregam o Evangelho Líquido, Relativista, Cinzento e Imoral.

Um Estudo Bíblico sobre Jesus Cristo para te ajudar a se livrar de Comunidades e Igrejas que pregam o Evangelho Líquido, Relativista, Cinzento e Imoral.
http://outroladodacabana.blogspot.com.br/2012/11/um-estudo-biblico-sobre-jesus-cristo.html

Problemas da pregação contemporânea

Problemas da pregação contemporânea

 

Não posso começar esse texto sem antes reconhecer uma coisa: Tenho visto a pregação da Igreja brasileira melhorar. É motivo de alegria perceber e se juntar principalmente a jovens que estão despertando para uma pregação totalmente bíblica e expositiva. Mesmo assim ainda há muito a se fazer. Ainda há muito a melhorar. Não escrevo isso por me achar um grande pregador, estou longe, bem longe disso. Escrevo para mim, para outros jovens pregadores e para todos nós que escutamos o evangelho. Em resumo, o maior problema da pregação contemporânea é a marginalização das Escrituras. O pior é que na maioria das vezes nem percebemos, e por isso quero apresentar cinco causas dessa marginalização. Espero abrir nossos olhos para o que está acontecendo em nossos púlpitos.

Estamos perdendo a confiança no poder da Palavra. Que verdade assustadora! O diabo deve vibrar com ela. Estamos perdendo a confiança de que a Palavra bíblica pregada é a amar mais poderosa de salvação, libertação e avivamento. Temos a tendência de colocar nossa confiança agora somente nas orações, louvores, objetos ungidos, campanhas de doação, boas obras, etc. Temos esquecido que é a Palavra que transforma um vale de ossos secos num vale de corpos vivos! Ela é a autora da nossa fé!
 
A fé vem pelo ouvir e pelo ouvir da PALAVRA de Deus.” Romanos 10:17
 
Estamos diminuindo o conteúdo bíblico das nossas pregações. Essa é a primeira consequência do problema anterior. Quando não cremos na palavra como principal agente da fé começamos a introduzir outras coisas em nossos sermões. Começamos a explicar a Bíblia em função das nossas vidas e não explicar nossas vidas em função da Bíblia. Perdemos a noção da mensagem total e central das escrituras e adicionamos muitos assuntos seculares num púlpito santo.
 
Tem cuidado de ti mesmo e da DOUTRINA. Continua nesses deveres; porque fazendo assim, salvarás tanto a ti mesmo como aos teus ouvintes.” 1 Timóteo 4:16
 
Estamos deixando o evangelho de Jesus de lado. Parece até exagero, mas é verdade. Alguns meses atrás durante um acampamento de jovens ouvi um cara dizer: “acho que pregam muito sobre salvação, deveriam falar de outras coisas além de Jesus na cruz.” Minha vontade foi dizer: “Acho que você precisa ouvir ainda mais!”. E isso é o que infelizmente está acontecendo. Quantas pregações você já ouviu que não apontam pra Jesus? Quantas pregações você já ouviu que não falam de pecado, arrependimento, justiça e ressurreição? A Bíblia inteira aponta para Jesus e suas boas novas, como uma pregação pode não fazer isso?
 
Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema. Gálatas 1:9
 
Estamos focalizando demais em necessidades humanas percebidas. Esse é aquele problema quase invisível, que parece fazer bem, mas que nos mata pouco a pouco. Pregadores estão se importando mais com o que as pessoas querem ouvir do que com o que elas precisam ouvir. Púlpitos se tornaram divãs e as pregações em palestras motivacionais. Pregamos como se não pudéssemos fazer nossa audiência se sentir culpada, mas é exatamente isso que o evangelho faz. Queremos agradar e encher nossos prédios, mas o que adianta enchê-los de pessoas mortas?
 
Porque, persuado eu agora a homens ou a Deus? ou procuro agradar a homens? Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo. Gálatas 1:10
 
Estamos valorizando demais a tecnologia. Considero a tecnologia nossa grande aliada na pregação, mas precisamos ter cuidado com ela. Uma grande tendência é não lermos e estudarmos mais a bíblia de maneira sequencial. Temos agora a internet e seus aplicativos que nos permitem achar qualquer texto isolado. É de chorar saber que muitos preparam suas pregações apenas pesquisando passagens no Google. Outro cuidado é não transformar sua mensagem num show de slides, luzes e vídeos. A mensagem visual ajuda muito, mas nunca pode ultrapassar a mensagem verbal!
 
Conjuro-te, pois, diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu reino,Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina.2 Timóteo 4:1-2
 
Minha oração é que estejamos atentos a esses problemas. Vamos ter o máximo de zelo com a Palavra e nossos púlpitos. Para glória de Deus e nossa alegria!
 
Sola Scriptura, Soli deo gloria!
 

Texto extraído do blog Evangelho Urbano

Fonte via: http://www.tempodecolheita.com.br/blog/problemas-da-pregacao-contemporanea/



Divulgação:



Ministérios Fracassados (documentário)

 
Todos nós gostamos de responder “envia-me a mim”, com o profeta Isaías, quando Deus lhe pergunta a quem enviaria. Mas será que nossa resposta permaneceria a mesma se soubéssemos para qual ministério Deus enviou esse profeta?

Depois disto, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim. Então, disse ele: Vai e dize a este povo: Ouvi, ouvi e não entendais; vede, vede, mas não percebais. Torna insensível o coração deste povo, endurece-lhe os ouvidos e fecha-lhe os olhos, para que não venha ele a ver com os olhos, a ouvir com os ouvidos e a entender com o coração, e se converta, e seja salvo. (Is 6:8-10)

Você leu para qual ministério Deus enviou Isaías? Para um ministério onde ninguém o ouviria, onde ninguém seria salvo. Ou seja, Deus enviou Isaías para um ministério fracassado! Ou… será que não?
 
O documentário abaixo, produzido por Yago Martins, aborda a questão do sucesso segundo o mundo contra o sucesso segundo Deus – uma mensagem tão importante nos tempos megalomaníacos de hoje.
 
 

 
 
Como bem aponta Augustus Nicodemus, ”o que se requer dos despenseiros é que cada um deles seja encontrado fiel” (1 Co 4:2). Contudo, devido ao engano do coração humano, muitos podem tentar esconder sua passividade sob a capa da fidelidade, alegando “minha igreja não cresce porque somos fiéis as Escrituras”. Isso pode ser verdade, mas também pode ser verdade que essa igreja, sua pregação e seu evangelismo estejam, na verdade, mortos e insípidos. A fidelidade bíblica é algo ativo, como Jesus bem mostra na parábola dos talentos (Mt 25: 14-30). Jamais esqueçamos que, sim, é Deus que dá o crescimento, mas somos nós que, pela graça de Deus, plantamos e regamos (1 Co 3:6).


Se este documentário falou com você de alguma forma, considere deixar uma mensagem aos quatro entrevistados principais ou um testemunho especial no Blog do Yago.


Leia mais: http://voltemosaoevangelho.com/blog/2012/11/ministerios-fracassados-documentario/#ixzz2BRhhE5Ce


FICHA TÉCNICA
  • Roteiro, apresentação e edição: Yago Martins
  • Câmeras: Alan Cristie, Jailson Vieira e Yago Martins
  • Som direto: Rodrigo Rosa e Yago Martins
  • Trilha sonora: danosongs.com e Eduardo Mano
  • Equipamentos: Canon T3 e Nikon D3100 (vídeo), Zoom H1 e Zoom H2n (áudio)
  • Produção, gravação e edição entre 01/10 e 03/11 de 2012
PARTICIPAÇÕES
  • Adauto Lourenço, Augustus Nicodemus, Heber Carlos de Campos Jr., Jader Campos, Leonardo Sahium, Mauro Meister, Renato Vargens, Sillas Campos, Stênio Marcius, Tiago Santos e Walter McAlister.
AGRADECIMENTOS
  • Alan Cristie (sem você, não tinha dado certo. Valeu, bro!), Bruno Lima, Daniel Almeida, Drika Elizabeth Vasconcelos, Eduardo Mano, Eline Bitencourt, Fabiano Medeiros e família, Filipe Leitão, Hanna Caroline, Jailson Vieira, João Victor, Lorena Moreira, Rodrigo Bahiense Rosa, Suani Mattos e Vinícius Musselman Pimentel.


Leia mais: http://voltemosaoevangelho.com/blog/2012/11/ministerios-fracassados-documentario/#ixzz2BRjFEDFU



Divulgação: